O Lifelong Learning veio para melhorar a nossa Vida

Pedro tem 24 anos e acabou de se formar em Ciência da Computação. Além dos 4 anos estudando na gradução, passou 12 anos de sua vida na educação formal entre ensino fundamental e ensino médio. Ele é autodidata e está há 6 meses trabalhando em um estágio como programador, e sempre que é perguntado se no que ele está trabalhando foi aprendido na faculdade, ele diz: “Não. Ou a empresa me ofereceu um treinamento ou eu tive que estudar por conta própria“. Ao também ser questionado se ele gosta de estudar por conta própria, ele respondeu: “Eu amo a minha área e gosto de estudar. Me preocupo em ser um profissional cada dia melhor e mais produtivo. E outra, se eu não cuidar da minha carreira, quem cuidará?”

Jéssica tem 38 anos, é gerente financeira em uma multinacional, é formada em economia com pós-graduação MBA em Gestão de Negócios. Tem um salário de 5 dígitos, extremamente organizada com suas finanças pessoais e ela sempre investiu, mensalmente, 10% do seu salário em investimentos de renda fixa. Entretanto, percebendo a constante queda da taxa de juros, ela se viu desafiada a estudar investimentos de renda variável, pois está sofrendo com a diminuição da rentabilidade da sua carteira de investimentos. Entretanto, ela sempre diz contente: “É na crise que estão as oportunidades e aprender é algo que eu amo e sempre foi uma prática na minha vida“.

Ao observar esses dois personagens fictícios, constatamos que possuem algumas diferenças: formação acadêmica, faixa etária e experiência profissional. Entretanto, eles possuem algumas características em comum: eles gostam de aprender, gostam de desafios e amam o que fazem.

Essa paixão em aprender algo novo todo dia tem a ver com o tema deste artigo. O Lifelong Learning, ou seja, aprendizado para toda a vida. Por esses dois perfis profissionais, podemos constatar também que eles não estão presos à uma educação formal para buscar aprendizado. A escola deixou de ser a única provedora de conhecimento e há diversos negócios educacionais que proporcionam conhecimentos e habilidades de qualidade, on line e num curto prazo de tempo.

Por exemplo, para quem deseja aperfeiçoar o seu lado empreendedor, o Sebrae oferece diversos cursos gratuitos para gerir o seu próprio negócio. Para quem é apaixonado por tecnologia e desenvolvimento de software, temos a Udemy e a Alura que oferecem treinamentos práticos e rápidos de tecnologias utilizadas no mercado. Para quem gosta e quer ser tornar um investidor, a XP oferece diversos treinamentos de renda fixa e renda variável.

Segundo a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), o conceito de Lifelong Learning é definido como “um aprendizado que é perseguido durante a vida: um aprendizado que é flexível, diverso e disponível em diferentes tempos e lugares. O Lifelong Learning cruza setores, promovendo aprendizado além da escola tradicional e ao longo da vida adulta”.

Buscar esse perfil de lifelong learner exige de cada um de nós um desprendimento em relação à educação formal e apresentar uma abertura para novas formas de aprendizado. É aprender a aprender e, principalmente, assumir a responsabilidade da gestão da própria carreira. Quantos profissionais, infelizmente, por não se atualizarem, não estão sendo rejeitados pelo mercado de trabalho porque não perceberam que o mercado e a tecnologia mudaram? Quantas empresas hoje não estão perdendo clientes por terem em seus quadros, profissionais vivendo em uma zona de conforto e inadequados para a função, e quando percebem isso, mesmo demitindo esses funcionários, o estrago já está feito?

Do lado dos investimentos, quantas pessoas diferentes da nossa personagem Jéssica, não buscam conhecimentos e estão insistindo em manter suas aplicações em investimentos que estão perdendo para a inflação?

Do lado de desenvolvimento de software, quantos profissionais insistem em não aprender novas linguagens, frameworks, metodologias ágeis, paradigmas de programação, não desejam desenvolver testes automatizados, nem microsserviços?

Precisamos entender que o aprendizado é um processo contínuo. A formação continuada é um skill cada vez mais exigido pelo mercado. Mas, não precisamos fazer apenas que o mercado dita como regra. Todo ser humano que deseja fazer a diferença no mundo é curioso, tem iniciativa e é automotivado. Uma pessoa que dança conforme o samba “deixa a vida me levar” está desperdiçando a própria vida, é um custo pesado para a empresa que o contratou e deixando de fazer algo útil para si e para a sociedade.

Para concluir, o nosso modelo mental precisa ser reprogramado para o crescimento. Cabe a cada um de nós entender o nosso papel na sociedade, realinhar valores, se colocando sempre à disposição das pessoas e trabalhar para a construção de um mundo melhor. Isso se dá quando colocamos nossos dons e talentos à serviço das pessoas. O Lifelong Learning veio para ficar e acredite: esse conceito veio para me mudar a nossa vida. Felizmente, para melhor.

Sucesso sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s