O Lifelong Learning veio para melhorar a nossa Vida

Pedro tem 24 anos e acabou de se formar em Ciência da Computação. Além dos 4 anos estudando na gradução, passou 12 anos de sua vida na educação formal entre ensino fundamental e ensino médio. Ele é autodidata e está há 6 meses trabalhando em um estágio como programador, e sempre que é perguntado se no que ele está trabalhando foi aprendido na faculdade, ele diz: “Não. Ou a empresa me ofereceu um treinamento ou eu tive que estudar por conta própria“. Ao também ser questionado se ele gosta de estudar por conta própria, ele respondeu: “Eu amo a minha área e gosto de estudar. Me preocupo em ser um profissional cada dia melhor e mais produtivo. E outra, se eu não cuidar da minha carreira, quem cuidará?”

Jéssica tem 38 anos, é gerente financeira em uma multinacional, é formada em economia com pós-graduação MBA em Gestão de Negócios. Tem um salário de 5 dígitos, extremamente organizada com suas finanças pessoais e ela sempre investiu, mensalmente, 10% do seu salário em investimentos de renda fixa. Entretanto, percebendo a constante queda da taxa de juros, ela se viu desafiada a estudar investimentos de renda variável, pois está sofrendo com a diminuição da rentabilidade da sua carteira de investimentos. Entretanto, ela sempre diz contente: “É na crise que estão as oportunidades e aprender é algo que eu amo e sempre foi uma prática na minha vida“.

Ao observar esses dois personagens fictícios, constatamos que possuem algumas diferenças: formação acadêmica, faixa etária e experiência profissional. Entretanto, eles possuem algumas características em comum: eles gostam de aprender, gostam de desafios e amam o que fazem.

Essa paixão em aprender algo novo todo dia tem a ver com o tema deste artigo. O Lifelong Learning, ou seja, aprendizado para toda a vida. Por esses dois perfis profissionais, podemos constatar também que eles não estão presos à uma educação formal para buscar aprendizado. A escola deixou de ser a única provedora de conhecimento e há diversos negócios educacionais que proporcionam conhecimentos e habilidades de qualidade, on line e num curto prazo de tempo.

Por exemplo, para quem deseja aperfeiçoar o seu lado empreendedor, o Sebrae oferece diversos cursos gratuitos para gerir o seu próprio negócio. Para quem é apaixonado por tecnologia e desenvolvimento de software, temos a Udemy e a Alura que oferecem treinamentos práticos e rápidos de tecnologias utilizadas no mercado. Para quem gosta e quer ser tornar um investidor, a XP oferece diversos treinamentos de renda fixa e renda variável.

Segundo a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), o conceito de Lifelong Learning é definido como “um aprendizado que é perseguido durante a vida: um aprendizado que é flexível, diverso e disponível em diferentes tempos e lugares. O Lifelong Learning cruza setores, promovendo aprendizado além da escola tradicional e ao longo da vida adulta”.

Buscar esse perfil de lifelong learner exige de cada um de nós um desprendimento em relação à educação formal e apresentar uma abertura para novas formas de aprendizado. É aprender a aprender e, principalmente, assumir a responsabilidade da gestão da própria carreira. Quantos profissionais, infelizmente, por não se atualizarem, não estão sendo rejeitados pelo mercado de trabalho porque não perceberam que o mercado e a tecnologia mudaram? Quantas empresas hoje não estão perdendo clientes por terem em seus quadros, profissionais vivendo em uma zona de conforto e inadequados para a função, e quando percebem isso, mesmo demitindo esses funcionários, o estrago já está feito?

Do lado dos investimentos, quantas pessoas diferentes da nossa personagem Jéssica, não buscam conhecimentos e estão insistindo em manter suas aplicações em investimentos que estão perdendo para a inflação?

Do lado de desenvolvimento de software, quantos profissionais insistem em não aprender novas linguagens, frameworks, metodologias ágeis, paradigmas de programação, não desejam desenvolver testes automatizados, nem microsserviços?

Precisamos entender que o aprendizado é um processo contínuo. A formação continuada é um skill cada vez mais exigido pelo mercado. Mas, não precisamos fazer apenas que o mercado dita como regra. Todo ser humano que deseja fazer a diferença no mundo é curioso, tem iniciativa e é automotivado. Uma pessoa que dança conforme o samba “deixa a vida me levar” está desperdiçando a própria vida, é um custo pesado para a empresa que o contratou e deixando de fazer algo útil para si e para a sociedade.

Para concluir, o nosso modelo mental precisa ser reprogramado para o crescimento. Cabe a cada um de nós entender o nosso papel na sociedade, realinhar valores, se colocando sempre à disposição das pessoas e trabalhar para a construção de um mundo melhor. Isso se dá quando colocamos nossos dons e talentos à serviço das pessoas. O Lifelong Learning veio para ficar e acredite: esse conceito veio para me mudar a nossa vida. Felizmente, para melhor.

Sucesso sempre.

Quer crescer? Cultive o Mindset de Crescimento

Carol S. Dweck em seu livro “Mindset: A nova psicologia do sucesso” nos ensinou que há dois tipos de mindset: o de crescimento e o fixo.

No mercado financeiro nos venderam um mindset fixo de que todos nós precisamos investir numa previdência privada complementar, pois viver da aposentadoria do Governo não nos proporcionará um padrão de vida interessante. Com isso, muitas pessoas foram aos bancos e adquiriram suas previdências que rendem muito pouco, que despendem custos elevados com taxa de administração e que, provavelmente, daqui há 20 ou 30 anos, todo esse dinheiro investido não nos dê o complemento necessário visando um bom padrão de vida na aposentadoria.

Na carreira também nos venderam um mindset fixo de que, para sermos profissionais bem sucedidos, temos que nos tornar líderes que inspiram pessoas do dia para a noite, ter vários MBAs, praticar mindfulness só porque está na moda, ser resiliente a todo momento e aguentar a pressão igual como se fosse o Homem de Ferro.

Agora, que tal substituirmos o mindset fixo pelo de crescimento?

Por que não substituir a frase “Eu invisto em previdência privada para complementar a renda que eu ganho no INSS.” para “Eu vou formar a minha própria previdência pessoal para sustentar a mim e a minha família, e se eu receber algum dinheiro do INSS, vou aplicá-lo em um investimento que me renda mais dinheiro.“?

Por que não substituir aquele pensamento “Prefiro investir na renda fixa, mesmo sabendo que ganharei quase nada, do que investir em ações e perder tudo.” por “Vou rever o que tenho na renda fixa, aprender sobre renda variável e vou readequar as minhas aplicações financeiras com o intuito de maximizar os meus ganhos.“?

Por que ficar sofrendo em querer ser o líder que o mercado tanto exige ser, se os seus dons e gostos não estão na gestão e sim no trabalho técnico? Por que gastar mais dinheiro com mais um MBA, se seria mais produtivo investir no aprendizado de um novo idioma? Por que continuar fazendo o que não gosta só porque o mercado está evangelizando que o importante é ganhar dinheiro e que sonhos não pagam contas? Por que não estudar aquilo que realmente se ama, que brilha aos olhos e faz o coração bater mais forte? Por que se pressionar tanto numa carreira que não lhe traz nenhum propósito? Por que trabalho e satisfação não podem caminhar juntos? Para que aceitar tanta pressão e parecer que é uma pessoa resiliente, mas que internamente está trazendo sérios danos à sua saúde emocional e física?

A vida, em seu sentido holístico, é para ser vivida com abundância: tanto na saúde mental, quanto na saúde física e financeira. Nós não podemos deixar que pessoas ou instituições externas nos digam como devemos conduzir a nossa vida. Nós devemos buscar a inteligência e o raciocínio lógico necessários para administrarmos a nossa vida da melhor maneira possível, que estejam alinhados com nossos propósitos e valores pessoais.

Busquemos elevar o nosso mindset para que seja de crescimento, olhando para as coisas ao nosso redor e diante de tantas opções e argumentações, estarmos bem posicionados sobre o que realmente queremos. O mindset de crescimento e o fixo podem nos proporcionar prazer. Mas, apenas o mindset de crescimento pode nos trazer felicidade, senso de propósito, autoconhecimento, autoconfiança e o principal: respeito à nós mesmos.

Exercício Diário para a Mente Sã

O cérebro humano, segundo a Psicologia Positiva, tem uma tendência maior para focar no lado negativo do que no lado positivo.

Os noticiários todos os dias nos enchem de matérias negativas em diversas áreas: mortes por COVID-19, troca de farpas entre políticos, empresários sendo presos na Lava-Jato, agressões, assassinatos, roubos, etc.

Da mesma forma, quantas pessoas que conhecemos e vêem a vida de forma negativa. Se arrastam pela vida sem algum propósito e vivem a reclamar o tempo inteiro. Falam mal da política, do chefe, do parente e do vizinho. Reclamam por quê não possuem a casa ou o carro dos sonhos.

Precisamos parar de pensar assim. Se quisermos fazer parte de uma nação próspera, de uma comunidade que se ajuda e de uma família feliz, precisamos mudar em nós mesmos a forma de pensar e de olhar o mundo. Precisamos enxergar que existem coisas boas no mundo, gente que faz a diferença e que também podemos fazer a diferença.

Sendo assim, para que comecemos a pensar positivamente, precisamos enxergar o lado bom das coisas. Para isso, há um exercício muito simples e eficaz, onde praticando-o em 30 dias experimentaremos uma revolução interna sensacional.

Não se trata de autoajuda e sim de ciência. Vamos lá!

Primeiro, tenha um diário e uma caneta em mãos.

Segundo, todos os dias antes de dormir, em um lugar reservado e que não tenha interrupções, escreva em seu diário 3 coisas boas que você fez no dia.

Terceiro, responda para cada uma dessas coisas boas, por quê você as considera como sendo coisas boas.

Por fim, quarto, feche seus olhos, respire fundo e agradeça.

Por meio de uma oração ou da prática da meditação, todos nós podemos expressar a nossa gratidão pela vida. É importante frisar que a mente positiva necessita de combustível diário. Agradecer todos os dias pela família que possuímos, por estar vivo, pelos bens que temos hoje e pelos sonhos que desejamos realizar, treinará o nosso cérebro para enxergar o lado bom da vida, afastando dos nossos pensamentos o negativismo.

Precisamos atrair a positividade como algo natural do nosso ser, pois nos ajudará a enfrentar os momentos turbulentos que surgem em nossas vidas e a caminhar pelo mundo com mais suavidade.

Pensemos nisso, construamos uma mente sã e sejamos felizes.

Como Alcançar seus Sonhos com Metas S.M.A.R.T.

Quando falamos em atingir metas, sempre nos remetemos à vida empresarial, com aqueles gráficos de custo ou faturamento subindo e descendo e pressão por resultados. Por isso, muitas pessoas possuem aversão quando alguém diz:

– Pessoal, precisamos atingir a seguinte meta…

Mas, na vida pessoal, para conquistar nossos sonhos, se não tivermos uma meta bem definida, é muito provável que não alcançaremos o resultado esperado. Isso é tão claro, por exemplo, quando vemos um amigo que está acima do peso manter uma disciplina invejável nos treinos e na alimentação e, em poucos meses, reduzir o seu peso conforme foi planejado. Entretanto, é comum algum outro colega também desejar perder peso, começar os treinos num ritmo interessante, mas com o tempo vai desanimando, voltando ao sedentarismo e ingerindo alimentos nada saudáveis.

Então, por que algumas pessoas conseguem atingir seus objetivos e outras não?

Não é uma resposta simples de responder. Há pessoas que possuem disciplina para fazer o que precisa ser feito, outras não. Há pessoas que colocam um senso de propósito no que fazem, onde os motivos são muito fortes e pessoais, e conseguem atingir suas metas. Outras fazem coisas sem algum propósito e desistem no meio do caminho. Algumas possuem a convicção de que nasceram para ter sucesso na vida, outras caminham no mundo segundo a música do Zeca Pagodinho “Deixa a vida me levar”. E ainda têm outras que, de tanto medo de fracassarem na vida, paralisam diante de novos desafios. E há tantos outros motivos que não é o objetivo deste artigo.

Mas, uma coisa é certa: uma meta para ser atingida, precisa ter um senso de propósito muito forte, ser clara, objetiva, realista, mensurável e atingível. Para isto, existe um conceito chamado Meta S.M.A.R.T. e que se a adotarmos, as chances de sucesso em nossas ações podem aumentar significativamente.

Meta S.M.A.R.T.

Vamos agora explicar o significado de S.M.A.R.T.:

S (specific): Uma meta deve ser específica, ou seja, precisa ser clara. Não pode ser subjetiva.

Por exemplo, eu posso ter a seguinte meta “Eu quero ter dinheiro.”. É uma meta muito subjetiva, pois não se determina o quanto de dinheiro você deseja. Você quer R$ 1 ou R$ 100.000,00?. Uma meta específica, neste caso, seria “Eu quero ficar rico.”. Já denota que não é pouco dinheiro que você quer e também quer um determinado status.

M (Measurable): Uma meta precisa ser mensurável, ou seja, ela deve ser capaz de ser medida para avaliar o seu progresso. Por exemplo, “Eu quero ficar rico tendo um milhão de reais na minha conta bancária.”. Aqui foi determinado o quanto de dinheiro significa para você se considerar uma pessoa rica e pode ser mensurável, ao longo do tempo, se você está perto ou longe de conquistar essa quantia.

A (Achievable): Uma meta deve ser alcançável, ou seja, precisa existir a possibilidade de ser atingida. Por exemplo, “Eu quero ficar rico tendo um milhão de reais na minha conta bancária, onde mensalmente, investirei 30% do meu salário sem sacrificar a minha família.

R (Relevant): Uma meta deve ser relevante, ou seja, ela precisa ser importante para mim, preciso estar engajado em conquistá-la. No nosso exemplo, uma meta relevante seria “Eu quero ficar rico tendo um milhão de reais na minha conta bancária, onde mensalmente, investirei 30% do meu salário sem sacrificar a minha família, pois eu quero me aposentar sendo financeiramente independente.”. Aqui existe um porquê, um significado pessoal e muito forte.

T (Time-Based): Por fim, uma meta precisa ter um prazo definido para ser alcançada. No nosso exemplo, uma meta temporal seria “Eu quero ficar rico tendo um milhão de reais na minha conta bancária, onde mensalmente, investirei 30% do meu salário sem sacrificar a minha família, pois eu quero me aposentar sendo financeiramente independente daqui 20 anos (até 31/12/2040).

Pronto, temos uma meta S.M.A.R.T. Mas, como tudo pode melhorar, ainda podemos quebrar essa meta em objetivos menores que podem melhorar ainda mais a mensuração do progresso das nossas ações. Poderíamos pontuar os seguintes objetivos:

Objetivo 1: Como eu ganho R$ 10.000,00 por mês líquido, mensalmente, vou investir R$ 3.000,00.

Objetivo 2: Para começar a investir 30% do meu salário, preciso encontrar um investimento que me renda, por ano, pelo menos 12%, já considerando o desconto do imposto de renda.

Objetivo 3: A cada virada de ano, irei recalcular o meu valor investido com base na inflação.

Objetivo 4: A cada 4 anos, vou rever o meu investimento e diversificar em outros produtos financeiros para melhorar meus rendimentos.

Objetivo 5: Em 31/12/2040, vou comemorar a minha meta alcançada com a minha família, em uma viagem em um resort em Itacaré, na Bahia.

Vejamos como isso é interessante. Criamos uma meta S.M.A.R.T. e a quebramos em passo-a-passo (objetivos), sendo possível medir se estamos ou não atingindo bons resultados, permitindo o desvio de rota, caso algo indesejável aconteça no meio da jornada. 

Podemos aplicar esse conceito em qualquer área da sua vida. Nos estudos, na saúde, na carreira, na vida financeira e no relacionamento amoroso. É uma ferramenta simples e poderosíssima.

Entretanto, é muito importante termos em mente que isso faz parte da fase de planejamento e que essa fase é muito determinante para seguirmos em frente na rota certa. Mas, após realizar o planejamento é extremamente importante executar bem as ações definidas, ou seja, precisamos passar para a próxima fase que é a execução

Mas, isso é assunto para outro artigo.

Sucesso sempre.

O que é um Cronograma de Projetos?

No mundo do gerenciamento de projetos, o mercado exige que as organizações o atendam dentro de alguns parâmetros fundamentais: prazos de entregas curtos, custos cada vez menores e produtos/serviços com maior qualidade.

Para administrar essa expectativa das partes interessadas, uma das ferramenta utilizadas pelos gestores de projetos é o cronograma de projetos.

O cronograma de projetos é um documento que elenca todas as tarefas/atividades que deverão ser cumpridas dentro de um projeto. Ele ajuda a gerenciar o tempo do projeto, pois nele conterá qual é a data de início e fim de cada tarefa/atividade, a relação de dependência entre elas e os recursos (humanos, materiais, financeiros) necessários para que sejam executadas essas tarefas/atividades.

O cronograma de projetos possui as seguintes vantagens:

  • ajuda a organizar/estruturar o projeto;
  • orienta na diminuição dos riscos para a organização;
  • apresenta um encadeamento lógico e sequencial das tarefas/atividades;
  • auxilia na verificação se uma tarefa/atividade será realizada dentro do prazo previsto;
  • auxilia no acompanhamento do desempenho do time do projeto, pois permite que o gestor avalie o quanto está sendo trabalhado, se está dentro do prazo e custo previstos, e na tomada de decisões rápidas para impedir que ocorra qualquer atraso;
  • ajuda os gestores na alocação de profissionais para executar determinada tarefa/atividade elencada no cronograma.

É importante frisar que, para montar um bom cronograma, é necessário (1) definir bem qual é o escopo do projeto e (2) criar uma Estrutura Analítica do Projeto – EAP, que é decompor o escopo criando entregas menores para ficarem mais fáceis de serem gerenciadas e implementadas (mindset ágil).

Conclusão

Neste pequeno artigo, refletimos sobre o conceito de cronograma de projetos, suas principais vantagens e o que levar em consideração para a sua confecção. É possível desenvolver um cronograma de projeto no MS-Excel ou no Google Planilhas, mas dependendo da complexidade do seu projeto, há diversas ferramentas no mercado, tanto gratuitas ( por exemplo, OpenProj, Project Planner), quanto pagas (por exemplo, MS-Project, Oracle Primavera). Vale a pena conhecê-las para definir qual delas melhor atende as necessidades da sua organização. Principalmente, porque sabemos que as chances de um projeto ter sucesso aumentam quando o planejamento é levado à sério. Por isso, vale a pena também investir um tempo considerável na definição do cronograma.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com seus amigos e com a sua rede de contatos. Vamos criar uma cultura positiva e profissional de gestão de projetos nas organizações.

Se você deseja fazer algum comentário ou sugerir ideias para novos artigos, será um prazer recebê-las para melhorarmos o nosso conteúdo.

Grande abraço.

A escolha ideal para cargos majoritários

No ambiente empresarial, a contratação de um funcionário se dá, geralmente, pela análise de seus conhecimentos, habilidades e atitudes. Os profissionais da área de Recursos Humanos chamam essa tríade de competências de CHA.

Sulivan França, presidente da SLAC Coaching, nos ensina que:

  • Conhecimento é o saber, é o que as pessoas aprendem nas escolas, nas universidades, nos livros, no trabalho e, especificamente, em suas vidas.
  • Habilidades é colocar em prática tudo aquilo que obteve de conhecimento. É o saber fazer.
  • Atitudes é o querer fazer, ou seja, é juntar os conhecimentos e as habilidades para entregar resultados aos objetivos esperados.

Sendo assim, um líder será aceito pelo time por diversas características, mas uma muito importante é a experiência que ele tem em determinada área em que o seu time está inserido. Por exemplo, um time de vendas irá respeitar e admirar o seu líder se ele possui experiência, liderança e resultados comprovados nesta área. Será muito difícil esse time de vendas respeitar e admirar um profissional que nunca teve experiência nessa área, por mais esforçado que ele seja. Nesse mundo corporativo, essa falta de experiência não é tolerada.

Entretanto, observando o ambiente político, principalmente para cargos majoritários (prefeito, governador e presidente) é percebido que o discurso subjetivo, mas inflamado, conquista mais a mente das pessoas do que a sua experiência em gestão, especialmente, a gestão pública. Independente de ideologia, ética ou afiliação partidária, a vitória do nosso presidente atual, Jair Bolsonaro, se deu mais pelos seus discursos inflamados do que pela sua experiência em gestão pública. No entanto, apenas a sua experiência como vereador e deputado federal está evidenciando que ele não é a pessoa ideal para ocupar um cargo de tamanha alçada.

presidente

Analisando outras personalidades políticas que ocuparam ou ainda ocupam cargos de gestão, podemos perceber que algumas características são similares entre eles e que faltam em nosso atual presidente. São elas:

  • Ser um estadista. 
  • Ser um governante sensível à situação do povo.
  • Apresentar grande cultura geral.
  • Promover o diálogo e capacidade para se relacionar com todos.
  • Ser diplomático.
  • Compreender a macroeconomia.
  • Saber delegar.
  • Apresentar o CHA para gestão pública.
  • Ter autocontrole.
  • Ser íntegro.
  • Se adaptar às circunstâncias, harmonizando o próprio comportamento à exigência dos tempos.

Vejamos agora a experiência de algumas personalidades políticas antes de assumirem cargos majoritários:

  • Juscelino Kubitschek

Antes de se tornar presidente da República, ele foi prefeito de Belo Horizonte, deputado federal, governador de Minas Gerais e senador pelo Estado de Goiás.

  • João Figueiredo

Militar, antes de se tornar presidente, assumiu posições de gestão, sendo Ministro-Chefe do Gabinete Militar e Chefe do Serviço Nacional de Informações.

  • Fernando Henrique Cardoso

Reeleito presidente do Brasil, é graduado, mestre e doutor em sociologia, foi senador pelo Estado de São Paulo, Ministro das Relações Exteriores e Ministro da Fazenda do Brasil.

  • João Doria

Atual governador do Estado de São Paulo, foi diretor na Rede Bandeirantes, Secretário de Turismo na prefeitura de São Paulo, foi Presidente da Embratur, lidera o Grupo Doria (Comunicação e Marketing) e o Grupo de Líderes Empresariais – LIDE.

Observando a experiência corporativa e política de pessoas que obtiveram sucesso em suas vidas, é comprovada a existência de oportunidades e posições que foram conquistadas degrau a degrau. O conjunto do CHA aumenta a chance de uma pessoa, ao alcançar uma posição de liderança, a obter sucesso em seus empreendimentos. Uma pessoa que tem atitude, mas que lhe falta conhecimento e habilidade, dificilmente obterá algum resultado satisfatório. Podemos citar a derrocada da ex-presidente Dilma Rousseff que, poderia até possuir conhecimento em economia, mas apresentou falta de habilidade política e de gestão, falta de conhecimento da relação entre os 3 poderes, aliada a falhas de comunicação.

Como cidadãos patrióticos, não desejamos mal à pessoa do presidente Jair Bolsonaro. No entanto, queremos que ele seja um verdadeiro estadista, pois no atual momento, ele está deixando a desejar, conduzindo o nosso país de maneira desarticulada, isolando o nosso país no cenário internacional, não promovendo a harmonia entre os 3 poderes, agredindo verbalmente diversos segmentos da sociedade, demonstrando claramente uma insegurança em governar por sua falta de habilidade em gestão e está se deixando levar pelas emoções e não pela razão.

Também esperamos que os cidadãos brasileiros, assim como observam no ambiente corporativo, também observem o CHA dos candidatos que se apresentam pedindo o nosso voto. O mundo atual não admite que escolhamos pessoas incompetentes. A experiência vale mais do que belos (mas, vazios) discursos.

Que o nosso país, no futuro, seja conduzido apenas por pessoas competentes e não mais por oportunistas e charlatões que nunca produziram algo de valor para a sociedade,  e apenas mamaram nas “tetas da Mamãe-Estado”.

Bibliografia:

https://www.slacoaching.com.br/artigos-do-presidente/conhecimento-habilidades-e-atitudes

https://pt.wikipedia.org/wiki/Estadista

https://www.infoescola.com/historia-do-brasil/governo-de-joao-figueiredo/

https://www.saopaulo.sp.gov.br/orgaos-e-entidades/governador/

https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/fernando-henrique-cardoso.htm

https://www.infoescola.com/historia/governo-de-juscelino-kubitschek/

Entenda o que são os fundos de ações

     Olá, amigos!

     Com as quedas da Taxa Selic, investir em renda fixa está se tornando desinteressante e a procura por investimentos em renda variável aumenta a cada dia.

     Nem todos possuem tempo suficiente para acompanhar o mercado acionário para comprar e vender ações. Entretanto, uma boa opção para diversificação da sua carteira de investimentos é começar a investir em renda variável por meio dos fundos de ações.

     Fundos de ações é uma comunhão de investidores para comprar cotas. Todo fundo possui um gestor que escolhe os ativos e os compra.

     Esse gestor é remunerado por meio de duas taxas:

     a) Taxa de Administração: os cotistas pagam, em média, 2%;

     b) Taxa de Performance: se um fundo supera a meta definida (geralmente, supera o ibovespa), os cotistas pagam, em média, 20%.

     É importante saber que de uma carteira de ações, o mínimo a ser investido em ações é de 67%.

     Sobre a tributação do imposto de renda, é de 15% sobre a valorização da cota do fundo e é retido no momento do resgate.

     Então, diante de tantos fundos de ações oferecidos no mercado, como analisar qual é melhor?

     A primeira situação a ser analisada é as taxas que incidem sobre os fundos. quanto menor, melhor para o investidor.

     A segunda situação é verificar no site da CVM, se a carteira do fundo está bem diversificada ou não.

     A terceira situação é verificar o histórico de performance do fundo. Lembrando que performance passada não é garantia de boa performance no futuro.

     E por último, é verificar o histórico do gestor, conversar com o gestor para entender qual é a sua estratégia.

     Espero que você tenham gostado. Mande suas dúvidas que eu terei o prazer imenso de respondê-las. Abraços.

O que é a Reunião de Retrospectiva da Sprint?

Olá!

Os métodos ágeis estão na moda e não é apenas na área de Tecnologia da Informação (TI) que a agilidade está fazendo a diferença nas organizações. Outras áreas, tais como, Recursos Humanos, Vendas e Produção também estão se beneficiando com a aplicação dos métodos ágeis em suas operações.

Um dos conceitos que há anos vem sendo discutido no mundo empresarial é sobre a melhoria contínua, que é uma prática que visa atingir resultados cada vez melhores, dia após dia. No Scrum, a melhoria contínua está bastante presente em uma de suas cerimônias conhecida como Retrospectiva da Sprint.

Uma Sprint deve resultar em duas coisas: (1) em um incremento pronto e (2) em uma equipe melhor. Desta forma, a reunião de Retrospectiva da Sprint tem um papel fundamental nesses objetivos, pois permite verificar o que não está bom, o que pode melhorar e qual é o plano a ser definido para melhorar. Por exemplo, para uma Sprint de 4 semanas, orienta-se que a reunião de Retrospectiva tenha a duração de 3 horas (time-box). Nessa reunião participa todo o time Scrum (Scrum Master, Product Owner e Time de Desenvolvimento) e se discute mais o processo do que o produto em si. Abaixo elenco as 3 perguntas fundamentais para orientar a reunião de Retrospectiva da Sprint:

  1. O que fizemos de bom e devemos manter?
  2. O que podemos melhorar?
  3. Como vamos implementar as ações para melhorar?

scrum-cerimonies

Na reunião de Retrospectiva devemos inspecionar como foi a última Sprint:

  • Se os processos foram realmente seguidos;
  • Como foi o relacionamento dentro do próprio time de desenvolvimento e com o Product Owner, e;
  • Se as ferramentas disponibilizadas estão apoiando o time de fato.

Nela também identificaremos e ordenaremos os principais itens que estão dando certo e os itens que precisam melhorar. Por fim, também será elaborado um plano de ação para implementar melhorias com o intuito de proporcionar o crescimento do time Scrum. Ao final dessa reunião o time Scrum terá identificado quais melhorias serão implementadas na próxima Sprint e será ponto-chave para o crescimento de todos os participantes.

Entretanto, é muito importante que todos os membros da equipe sintam e exerçam a responsabilidade para criar um ambiente de confiança, honestidade, integridade e transparência, pois cada membro deverá falar abertamente sobre o que ele considera que foi bom e o que precisa melhorar no projeto. Todos os membros do time Scrum devem falar e serem respeitados, sem julgamento. Assim, quando todos tiverem terminados suas falas, o próprio time irá priorizar os itens mais importantes e promoverá as ações necessárias para maximizar o resultado a ser alcançado e/ou para minimizar o impacto de um item negativo.

Como medimos que a reunião foi produtiva? Quando o time Scrum consegue responder as 3 (três) perguntas fundamentais descritas acima.

Como medimos que a reunião não foi produtiva? Quando ela não resulta em itens de valor, sem plano de ação, consequentemente, não ocorre a oportunidade do time Scrum melhorar.

Assim, se o seu time de trabalho possui o compromisso e a responsabilidade de melhorar a cada dia, pense sinceramente, ao final de um ciclo de trabalho (Sprint), em adotar a reunião de Retrospectiva da Sprint. O seu time se beneficiará de grandes resultados. E o mais incrível de tudo isso é que conseguirá atingí-los de forma muito rápida.

Quer Saber como Montar a sua Reserva de Emergência? Baixe Gratuitamente o Meu Novo E-book e Descubra Como

Olá!

Eu tenho uma novidade para você.

Tenho recebido diversas dúvidas sobre qual o melhor investimento para se montar uma reserva de emergência.

Por este motivo, eu escrevi o e-book “O Guia Definitivo da Reserva de Emergência“, onde eu explico o por quê de se montar uma reserva de emergência, as vantagens e desvantagens em se preparar para as emergências e (o principal) apresento 5 tipos de investimentos para você começar a se preparar para imprevistos e montar a sua emergência de emergência.

Para baixá-lo você deverá preencher um pequeno formulário (não leva mais que 10 segundos) e PRONTO: você já terá acesso ao seu e-book que escrevi especialmente para você.

Clique aqui para baixar O Guia Definitivo da Reserva de Emergência

Impulsividade em comprar: saia dessa!

Um dos fatores importantes para conquistar uma vida financeira saudável é saber controlar a impulsividade diante das compras.

É muito comum sermos flagrados dizendo “eu mereço” possuir determinado bem. Dizemos frases assim:

“Eu mereço comprar um carro zero quilômetro.”

“Eu mereço comprar roupas de marca.”

“Eu mereço comprar o último lançamento de celular.”

Ok. Vamos concordar que todos nós merecemos usufruir das novidades do mercado. A questão é: esse produto realmente agrega valor à minha vida? Será que a minha impulsividade de comprar sempre mais e mais não está me deixando mais pobre?

É importante termos em mente que a forma como nos comportamos com o nosso dinheiro é o que influenciará o nosso resultado financeiro, pois o consumo diário de produtos supérfluos sugará toda a nossa renda. Desta forma, é necessário reavaliar os nossos hábitos. Não podemos nos deixar levar pelas propagandas que nos iludem que comprando determinado produto a nossa vida será maravilhosa.

“É tudo com 50% de desconto.”

“Leve 2, pague 1.”

“Oferta válida somente hoje.”

O ato de comprar compulsivamente se assemelha a uma alergia. No nosso caso financeiro, se trata da alergia ao dinheiro. Não podemos receber um dinheiro a mais ou ver que o saldo bancário ainda está positivo que já queremos  nos livrar dele o mais rápido possível. Assim, pessoas que possuem esta alergia sofrem de COMFIA. Elas são as Compulsivas Financeiras Anônimas. O dinheiro quando está na mão delas, faz cócegas. Consequência disso é possuírem mais dívidas, terem um pensamento nocivo, nenhuma perspectiva de futuro e produtos novos abarrotados nos armários sem uso.

Por isso, é muito importante sempre se perguntar:

“Eu preciso mesmo deste produto?”

“Ele vai me agregar que tipo de valor na minha vida?”

“Consigo passar mais um dia sem ele?”

Vamos mudar o nosso comportamento. Vamos apenas comprar o que realmente é essencial. Vamos priorizar a semeadura, ou seja, o hábito de poupar sempre, pagando-se primeiro. É por meio dessa semeadura que colheremos a realização dos nossos sonhos, a criação de um fundo financeiro para momentos de emergência e a estabilidade financeira. Também é importante rever os nossos próprios hábitos, avaliar bem o produto antes de comprar e se sentir bem em cuidar do dinheiro.

Afinal, dinheiro não cai do céu, não é mesmo?