Blog

A escolha ideal para cargos majoritários

No ambiente empresarial, a contratação de um funcionário se dá, geralmente, pela análise de seus conhecimentos, habilidades e atitudes. Os profissionais da área de Recursos Humanos chamam essa tríade de competências de CHA.

Sulivan França, presidente da SLAC Coaching, nos ensina que:

  • Conhecimento é o saber, é o que as pessoas aprendem nas escolas, nas universidades, nos livros, no trabalho e, especificamente, em suas vidas.
  • Habilidades é colocar em prática tudo aquilo que obteve de conhecimento. É o saber fazer.
  • Atitudes é o querer fazer, ou seja, é juntar os conhecimentos e as habilidades para entregar resultados aos objetivos esperados.

Sendo assim, um líder será aceito pelo time por diversas características, mas uma muito importante é a experiência que ele tem em determinada área em que o seu time está inserido. Por exemplo, um time de vendas irá respeitar e admirar o seu líder se ele possui experiência, liderança e resultados comprovados nesta área. Será muito difícil esse time de vendas respeitar e admirar um profissional que nunca teve experiência nessa área, por mais esforçado que ele seja. Nesse mundo corporativo, essa falta de experiência não é tolerada.

Entretanto, observando o ambiente político, principalmente para cargos majoritários (prefeito, governador e presidente) é percebido que o discurso subjetivo, mas inflamado, conquista mais a mente das pessoas do que a sua experiência em gestão, especialmente, a gestão pública. Independente de ideologia, ética ou afiliação partidária, a vitória do nosso presidente atual, Jair Bolsonaro, se deu mais pelos seus discursos inflamados do que pela sua experiência em gestão pública. No entanto, apenas a sua experiência como vereador e deputado federal está evidenciando que ele não é a pessoa ideal para ocupar um cargo de tamanha alçada.

presidente

Analisando outras personalidades políticas que ocuparam ou ainda ocupam cargos de gestão, podemos perceber que algumas características são similares entre eles e que faltam em nosso atual presidente. São elas:

  • Ser um estadista. 
  • Ser um governante sensível à situação do povo.
  • Apresentar grande cultura geral.
  • Promover o diálogo e capacidade para se relacionar com todos.
  • Ser diplomático.
  • Compreender a macroeconomia.
  • Saber delegar.
  • Apresentar o CHA para gestão pública.
  • Ter autocontrole.
  • Ser íntegro.
  • Se adaptar às circunstâncias, harmonizando o próprio comportamento à exigência dos tempos.

Vejamos agora a experiência de algumas personalidades políticas antes de assumirem cargos majoritários:

  • Juscelino Kubitschek

Antes de se tornar presidente da República, ele foi prefeito de Belo Horizonte, deputado federal, governador de Minas Gerais e senador pelo Estado de Goiás.

  • João Figueiredo

Militar, antes de se tornar presidente, assumiu posições de gestão, sendo Ministro-Chefe do Gabinete Militar e Chefe do Serviço Nacional de Informações.

  • Fernando Henrique Cardoso

Reeleito presidente do Brasil, é graduado, mestre e doutor em sociologia, foi senador pelo Estado de São Paulo, Ministro das Relações Exteriores e Ministro da Fazenda do Brasil.

  • João Doria

Atual governador do Estado de São Paulo, foi diretor na Rede Bandeirantes, Secretário de Turismo na prefeitura de São Paulo, foi Presidente da Embratur, lidera o Grupo Doria (Comunicação e Marketing) e o Grupo de Líderes Empresariais – LIDE.

Observando a experiência corporativa e política de pessoas que obtiveram sucesso em suas vidas, é comprovada a existência de oportunidades e posições que foram conquistadas degrau a degrau. O conjunto do CHA aumenta a chance de uma pessoa, ao alcançar uma posição de liderança, a obter sucesso em seus empreendimentos. Uma pessoa que tem atitude, mas que lhe falta conhecimento e habilidade, dificilmente obterá algum resultado satisfatório. Podemos citar a derrocada da ex-presidente Dilma Rousseff que, poderia até possuir conhecimento em economia, mas apresentou falta de habilidade política e de gestão, falta de conhecimento da relação entre os 3 poderes, aliada a falhas de comunicação.

Como cidadãos patrióticos, não desejamos mal à pessoa do presidente Jair Bolsonaro. No entanto, queremos que ele seja um verdadeiro estadista, pois no atual momento, ele está deixando a desejar, conduzindo o nosso país de maneira desarticulada, isolando o nosso país no cenário internacional, não promovendo a harmonia entre os 3 poderes, agredindo verbalmente diversos segmentos da sociedade, demonstrando claramente uma insegurança em governar por sua falta de habilidade em gestão e está se deixando levar pelas emoções e não pela razão.

Também esperamos que os cidadãos brasileiros, assim como observam no ambiente corporativo, também observem o CHA dos candidatos que se apresentam pedindo o nosso voto. O mundo atual não admite que escolhamos pessoas incompetentes. A experiência vale mais do que belos (mas, vazios) discursos.

Que o nosso país, no futuro, seja conduzido apenas por pessoas competentes e não mais por oportunistas e charlatões que nunca produziram algo de valor para a sociedade,  e apenas mamaram nas “tetas da Mamãe-Estado”.

Bibliografia:

https://www.slacoaching.com.br/artigos-do-presidente/conhecimento-habilidades-e-atitudes

https://pt.wikipedia.org/wiki/Estadista

https://www.infoescola.com/historia-do-brasil/governo-de-joao-figueiredo/

https://www.saopaulo.sp.gov.br/orgaos-e-entidades/governador/

https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/fernando-henrique-cardoso.htm

https://www.infoescola.com/historia/governo-de-juscelino-kubitschek/

Entenda o que são os fundos de ações

     Olá, amigos!

     Com as quedas da Taxa Selic, investir em renda fixa está se tornando desinteressante e a procura por investimentos em renda variável aumenta a cada dia.

     Nem todos possuem tempo suficiente para acompanhar o mercado acionário para comprar e vender ações. Entretanto, uma boa opção para diversificação da sua carteira de investimentos é começar a investir em renda variável por meio dos fundos de ações.

     Fundos de ações é uma comunhão de investidores para comprar cotas. Todo fundo possui um gestor que escolhe os ativos e os compra.

     Esse gestor é remunerado por meio de duas taxas:

     a) Taxa de Administração: os cotistas pagam, em média, 2%;

     b) Taxa de Performance: se um fundo supera a meta definida (geralmente, supera o ibovespa), os cotistas pagam, em média, 20%.

     É importante saber que de uma carteira de ações, o mínimo a ser investido em ações é de 67%.

     Sobre a tributação do imposto de renda, é de 15% sobre a valorização da cota do fundo e é retido no momento do resgate.

     Então, diante de tantos fundos de ações oferecidos no mercado, como analisar qual é melhor?

     A primeira situação a ser analisada é as taxas que incidem sobre os fundos. quanto menor, melhor para o investidor.

     A segunda situação é verificar no site da CVM, se a carteira do fundo está bem diversificada ou não.

     A terceira situação é verificar o histórico de performance do fundo. Lembrando que performance passada não é garantia de boa performance no futuro.

     E por último, é verificar o histórico do gestor, conversar com o gestor para entender qual é a sua estratégia.

     Espero que você tenham gostado. Mande suas dúvidas que eu terei o prazer imenso de respondê-las. Abraços.

O que é a Reunião de Retrospectiva da Sprint?

Olá!

Os métodos ágeis estão na moda e não é apenas na área de Tecnologia da Informação (TI) que a agilidade está fazendo a diferença nas organizações. Outras áreas, tais como, Recursos Humanos, Vendas e Produção também estão se beneficiando com a aplicação dos métodos ágeis em suas operações.

Um dos conceitos que há anos vem sendo discutido no mundo empresarial é sobre a melhoria contínua, que é uma prática que visa atingir resultados cada vez melhores, dia após dia. No Scrum, a melhoria contínua está bastante presente em uma de suas cerimônias conhecida como Retrospectiva da Sprint.

Uma Sprint deve resultar em duas coisas: (1) em um incremento pronto e (2) em uma equipe melhor. Desta forma, a reunião de Retrospectiva da Sprint tem um papel fundamental nesses objetivos, pois permite verificar o que não está bom, o que pode melhorar e qual é o plano a ser definido para melhorar. Por exemplo, para uma Sprint de 4 semanas, orienta-se que a reunião de Retrospectiva tenha a duração de 3 horas (time-box). Nessa reunião participa todo o time Scrum (Scrum Master, Product Owner e Time de Desenvolvimento) e se discute mais o processo do que o produto em si. Abaixo elenco as 3 perguntas fundamentais para orientar a reunião de Retrospectiva da Sprint:

  1. O que fizemos de bom e devemos manter?
  2. O que podemos melhorar?
  3. Como vamos implementar as ações para melhorar?

scrum-cerimonies

Na reunião de Retrospectiva devemos inspecionar como foi a última Sprint:

  • Se os processos foram realmente seguidos;
  • Como foi o relacionamento dentro do próprio time de desenvolvimento e com o Product Owner, e;
  • Se as ferramentas disponibilizadas estão apoiando o time de fato.

Nela também identificaremos e ordenaremos os principais itens que estão dando certo e os itens que precisam melhorar. Por fim, também será elaborado um plano de ação para implementar melhorias com o intuito de proporcionar o crescimento do time Scrum. Ao final dessa reunião o time Scrum terá identificado quais melhorias serão implementadas na próxima Sprint e será ponto-chave para o crescimento de todos os participantes.

Entretanto, é muito importante que todos os membros da equipe sintam e exerçam a responsabilidade para criar um ambiente de confiança, honestidade, integridade e transparência, pois cada membro deverá falar abertamente sobre o que ele considera que foi bom e o que precisa melhorar no projeto. Todos os membros do time Scrum devem falar e serem respeitados, sem julgamento. Assim, quando todos tiverem terminados suas falas, o próprio time irá priorizar os itens mais importantes e promoverá as ações necessárias para maximizar o resultado a ser alcançado e/ou para minimizar o impacto de um item negativo.

Como medimos que a reunião foi produtiva? Quando o time Scrum consegue responder as 3 (três) perguntas fundamentais descritas acima.

Como medimos que a reunião não foi produtiva? Quando ela não resulta em itens de valor, sem plano de ação, consequentemente, não ocorre a oportunidade do time Scrum melhorar.

Assim, se o seu time de trabalho possui o compromisso e a responsabilidade de melhorar a cada dia, pense sinceramente, ao final de um ciclo de trabalho (Sprint), em adotar a reunião de Retrospectiva da Sprint. O seu time se beneficiará de grandes resultados. E o mais incrível de tudo isso é que conseguirá atingí-los de forma muito rápida.

Quer Saber como Montar a sua Reserva de Emergência? Baixe Gratuitamente o Meu Novo E-book e Descubra Como

Olá!

Eu tenho uma novidade para você.

Tenho recebido diversas dúvidas sobre qual o melhor investimento para se montar uma reserva de emergência.

Por este motivo, eu escrevi o e-book “O Guia Definitivo da Reserva de Emergência“, onde eu explico o por quê de se montar uma reserva de emergência, as vantagens e desvantagens em se preparar para as emergências e (o principal) apresento 5 tipos de investimentos para você começar a se preparar para imprevistos e montar a sua emergência de emergência.

Para baixá-lo você deverá preencher um pequeno formulário (não leva mais que 10 segundos) e PRONTO: você já terá acesso ao seu e-book que escrevi especialmente para você.

Clique aqui para baixar O Guia Definitivo da Reserva de Emergência

Impulsividade em comprar: saia dessa!

Um dos fatores importantes para conquistar uma vida financeira saudável é saber controlar a impulsividade diante das compras.

É muito comum sermos flagrados dizendo “eu mereço” possuir determinado bem. Dizemos frases assim:

“Eu mereço comprar um carro zero quilômetro.”

“Eu mereço comprar roupas de marca.”

“Eu mereço comprar o último lançamento de celular.”

Ok. Vamos concordar que todos nós merecemos usufruir das novidades do mercado. A questão é: esse produto realmente agrega valor à minha vida? Será que a minha impulsividade de comprar sempre mais e mais não está me deixando mais pobre?

É importante termos em mente que a forma como nos comportamos com o nosso dinheiro é o que influenciará o nosso resultado financeiro, pois o consumo diário de produtos supérfluos sugará toda a nossa renda. Desta forma, é necessário reavaliar os nossos hábitos. Não podemos nos deixar levar pelas propagandas que nos iludem que comprando determinado produto a nossa vida será maravilhosa.

“É tudo com 50% de desconto.”

“Leve 2, pague 1.”

“Oferta válida somente hoje.”

O ato de comprar compulsivamente se assemelha a uma alergia. No nosso caso financeiro, se trata da alergia ao dinheiro. Não podemos receber um dinheiro a mais ou ver que o saldo bancário ainda está positivo que já queremos  nos livrar dele o mais rápido possível. Assim, pessoas que possuem esta alergia sofrem de COMFIA. Elas são as Compulsivas Financeiras Anônimas. O dinheiro quando está na mão delas, faz cócegas. Consequência disso é possuírem mais dívidas, terem um pensamento nocivo, nenhuma perspectiva de futuro e produtos novos abarrotados nos armários sem uso.

Por isso, é muito importante sempre se perguntar:

“Eu preciso mesmo deste produto?”

“Ele vai me agregar que tipo de valor na minha vida?”

“Consigo passar mais um dia sem ele?”

Vamos mudar o nosso comportamento. Vamos apenas comprar o que realmente é essencial. Vamos priorizar a semeadura, ou seja, o hábito de poupar sempre, pagando-se primeiro. É por meio dessa semeadura que colheremos a realização dos nossos sonhos, a criação de um fundo financeiro para momentos de emergência e a estabilidade financeira. Também é importante rever os nossos próprios hábitos, avaliar bem o produto antes de comprar e se sentir bem em cuidar do dinheiro.

Afinal, dinheiro não cai do céu, não é mesmo?

Uma breve reflexão sobre meritocracia

     Desde pequeno sempre fui um entusiasta e defensor da meritocracia. Não que eu seja uma pessoa excepcional, melhor que a maioria dos mortais, um semi-deus, mas eu acredito que é a vida tem mais sabor quando lutamos, estudamos, corremos atrás e conquistamos o objetivo proposto.

     É comum algumas pessoas defenderem a posição de que não existe meritocracia e que o mundo funciona de maneira injusta, onde quem tem condições financeiras favoráveis possui maior chance de conquistar vitórias na vida, enquanto quem nasce e vive em condições desfavoráveis possui (quase) nenhuma chance de conquistar alguma coisa na vida. Eu, particularmente, concordo que existe desigualdade social e que uma pessoa que vive em uma família desestruturada, que não teve acesso ao sistema de ensino decente e de qualidade, que não possui acesso aos serviços públicos básicos, alimentação digna, condições de moradia decente e ao consumo de bons produtos (muitas vezes mais caros), possui menos chances de alcançar o sucesso tão fortemente pregado nos dias atuais.

     Mas, não podemos nos acomodar com esse discurso e ficar parado no tempo esperando por um salvador da pátria. Penso que se realmente ela não existe, temos o dever moral de defender e praticar esse conceito em qualquer ambiente, principalmente, onde há concorrência ou competição. Assim como eu, conheço muitas pessoas que tiveram a sua origem em bairros periféricos e de famílias trabalhadoras com baixo nível de escolaridade. Por algum motivo, essas pessoas disseram para si mesmas: “eu não quero crescer e manter esse padrão de vida. Eu quero mais”. Essas mesmas pessoas não precisaram ir para o mundo do crime para conquistarem algo a mais para suas vidas. Simplesmente, elas tiveram ambição e se dedicaram: tiveram que estudar mais do que aquele estudante que, desde cedo, teve acesso à uma educação de qualidade, começaram a trabalhar mais cedo para juntar dinheiro para comprar o próprio carro, a sua moto, o seu videogame e montar a sua poupança. Com a entrada no mercado de trabalho, se não tinham condições de pagar uma faculdade ou um cursinho pré-vestibular, conseguiram estudar no ensino técnico, conseguiram empregos melhores, aumentaram a renda e a partir de então, tiveram condições de pagar uma faculdade. Alguns até conseguiram passar na universidade pública. Continuaram estudando com afinco e conseguiram um estágio. Estagiaram com dedicação e foram contratados. Trabalharam mais ainda e conquistaram uma promoção, alguns seguiram a carreira gerencial, formaram famílias e conquistaram a casa própria.

     Cito aqui, também, algumas pessoas que tiveram sua origem simples e se tornaram grandes influenciadores e empreendedores: Flávio Augusto da Silva, Rick Chester, Carlos Wizard, José Diniz da Ser Educacional e Geraldo Rufino.

     Assim, eu pergunto: tudo isso não é meritocracia? Para quem é contra o conceito de mérito, consegue negar que todas essas conquistas foram conquistadas com muito suor e mérito? Claro que alguém pode dizer: “Essas pessoas chegaram lá porque puxaram o saco do chefe.”. Outra pessoa pode dizer também: “Mas esses exemplos são uma minoria.”. Até pode ser minoria e alguns podem ter puxado o saco do chefe. É lógico que queremos um país cada vez mais justo e que ofereça para todos os seus cidadãos meios e condições para alcançarem aquilo que cada um chama de sucesso. Mas, não podemos nos acomodar e defender uma bandeira de pena, acomodação e preguiça. Faz parte da ética do ser humano melhorar a cada dia, produzir produtos e serviços de qualidade para as pessoas e promover a competição saudável, sem se utilizar de meios que prejudiquem outras pessoas.

     As empresas já estão ficando cada vez mais conscientes de que a meritocracia gera lucro, diminui a rotatividade dos funcionários, gera motivação e cria um ambiente saudável de trabalho. As avaliações de desempenho buscam cada vez mais evidenciar quem realmente está se destacando na função, quem precisa de orientação para fazer aquilo que é esperado do funcionário e, principalmente, promover quem realmente merece e não porque joga futebol durante a semana com o chefe, mesmo apresentando resultados medianos.

     No mundo dos esportes é a mesma coisa. Magic Paula e Hortência não se tornaram os maiores nomes do basquete feminino brasileiro e mundial por acaso. O Pelé não se tornou o melhor jogador de futebol do mundo treinando igual a maioria. Ele ia além. Bernardinho não se tornou o melhor técnico de voleibol do mundo dando moleza e sentimento de pena aos times que treinou. Fez todo mundo trabalhar duro, conseguiu extrair o melhor de cada jogador e tinha um propósito claro e bem definido para conquistar as vitórias. Podemos afirmar com toda clareza que essas pessoas citadas se tornaram melhores e reconhecidas também por conta da meritocracia.

     Para concluir, cada ser humano precisa aprender a se respeitar: ter amor próprio, buscar o aperfeiçoamento contínuo, procurar fazer o que realmente gosta, para assim, ajudar mais pessoas e alcançar os próprios objetivos. Afinal, o nosso trabalho tem a finalidade de produzir algo de valor para alguém e não há mérito e nem merecemos ser bem recompensados quando fazemos um trabalho medíocre. Merecemos ser bem recompensados quando fazemos a diferença na vida das pessoas. E quando a fazemos é porque também estamos praticando a meritocracia.

LCI e LCA – O que são e como investir

Olá! O artigo de hoje é sobre LCI e LCA.

LCI significa Letras de Crédito Imobiliário e LCA significa Letras de Crédito do Agronegócio.

São títulos de renda fixa emitidos por bancos. Ao investir seu dinheiro em LCI ou LCA, você empresta o seu dinheiro para o banco e este financia empreendimentos do setor imobiliário (no caso da LCI) e empreendimentos do setor agrícola (no caso da LCA).

Uma grande vantagem em investir nesses títulos é que eles são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Outra vantagem bastante importante é que não há incidência do imposto de renda.

Eles podem ser prefixados (um percentual fixo anual) e pós-fixados (o indicador de rentabilidade é o CDI).

Você encontra esses títulos em bancos e em corretoras a partir de R$ 1.000,00, e eles apresentam carência, ou seja, possuem um prazo para resgate.

Por fim, esses títulos podem ser uma interessante opção para diversificar seus investimentos e realizar sonhos de médio prazo, já que, novamente, estão cobertos pelo FGC e não há incidência de imposto de renda.

3 Dúvidas sobre IR no Tesouro Direto

     Placeholder Image

     Estou recebendo muitas dúvidas sobre investimentos e muitas delas dizem respeito sobre como funciona o imposto de renda no Tesouro Direto.

     Basicamente, são 3 pontos de atenção que devemos ter com o imposto de renda, quando investimos em Tesouro Direto:

     1) O imposto de renda é calculado sobre o rendimento da aplicação e não sobre o montante total. Por exemplo, se você investiu R$ 800,00 e resgatou R$ 1.000,00, o imposto de renda será calculado sobre o rendimento (o lucro), ou seja, sobre R$ 200,00 e não sobre R$ 1.000,00.

     2) O imposto de renda será retido na fonte, ou seja, a própria corretora fará a retenção e também fará a transferência do valor para a Receita Federal.

     3) O imposto de renda, no Tesouro Direto, segue a tabela regressiva, que é a tabela utilizada para cálculo de IR para quase todos os investimentos de renda fixa. Segue abaixo a tabela:

tabela regressiva ir

     É um grande prazer responder as dúvidas dos leitores do meu blog. E se você também possui dúvidas, peço que as envie aqui para eu lhe ajudar a saná-las.

Aproveito também para divulgar o lançamento do meu e-book “Como organizar as minhas finanças pessoais”. Ele responde várias dúvidas dos meus leitores e está com um preço promocional de R$ 6,99. Mas, é por tempo limitado. Clique no link abaixo e adquira já o seu.

Clique aqui para adquirir o seu e-book.