Pelo amor dos Deuses, adote o home office!

O home office já era um assunto há muito tempo discutido, mas poucas empresas o adotavam. Com a pandemia da Covid-19, muitas empresas que tinham atividades que poderiam ser desenvolvidas em casa, liberaram essa modalidade de trabalho para seus funcionários.

Em tão pouco tempo, o mercado de trabalho mudou e o home office veio para ficar. Não acredita? Em 29/07/2021, o Portal IG informou em uma matéria que haviam 2.299 vagas de emprego remoto ou hídrido (remoto + presencial).

Na área de desenvolvimento de software, por exemplo, na plataforma LinkedIn, hoje no Brasil (artigo escrito em 24/10/2021), há 4.888 vagas em aberto para trabalho remoto. Se somarmos as vagas em aberto para trabalho remoto e híbrido, esse número sobe para 5.233 vagas.

Por outro lado, estamos assistindo empresas que ainda não adotaram o modelo home office com dificuldades em contratar bons profissionais. Os candidatos, no momento da entrevista, quando constatam que a empresa não oferece esse modelo de trabalho, simplesmente desistem da vaga. Fora que a concorrência para contratar bons profissionais aumentou mais ainda. Hoje, por exemplo, um profissional que mora em Fortaleza pode trabalhar numa excelente empresa situada em São Paulo, sem precisar se deslocar da sua cidade atual. A partir da casa dele, utilizando tecnologias de informação e comunicação (TICs), ele consegue trabalhar com alta produtividade, participar em reuniões com o seu time, com seus clientes e acompanhar como estão seus indicadores e metas. O pior não é só isso: com o home office, você pode trabalhar em qualquer empresa do mundo. A concorrência não é somente continental. Ela é global.

Outro fato é que para muitos profissionais, não faz mais sentido acordarem muito cedo para enfrentar o trânsito caótico das cidades, perdendo muitas horas de suas vidas dentro de um carro ou ônibus andando a 5 Km/hora. Ou ainda sendo esmagados dentro de um metrô. Uma sugestão para os gestores públicos: incentivem as empresas a adotarem o home office. Dê incentivos fiscais para quem promover esse modelo em seus locais de trabalho. Porque isso se torna uma grande vantagem para termos uma cidade inteligente, contribuindo para uma melhor mobilidade urbana. Também não faz nenhum sentido arriscarem suas vidas se aglomerando em escritórios e correndo o risco de serem contaminados pela Covid-19, aumentando o risco de internações e mortes, e também colocando em riscos seus próprios familiares. Outra questão de gestão pública, já que presenciamos a superlotação das unidades de saúde e mortes de profissionais da saúde.

Verdadeiros líderes organizacionais, com visão humana e atitude empática, observando esse cenário, já sinalizaram que o home office veio para ficar, que não faz mais sentido manter altos custos com alocação de imóveis, energia elétrica e manutenção de equipamentos. A vice-presidente de pessoas do Twitter, Jennifer Christie, em comunicado ao CNN Business nos EUA, disse em janeiro deste ano que “Se nossos funcionários tiverem responsabilidades e funções que podem ser desempenhadas remotamente e quiserem continuar dessa forma para sempre, faremos isso acontecer”.

É claro que muitos problemas também surgiram com o home office. A dificuldade para separar vida profissional da vida pessoal, alta jornada de trabalho, falta de contato físico com as pessoas e medo de ser demitido, tudo isso preocupam muitas pessoas. É nessa hora que os líderes organizacionais e a área de recursos humanos precisam analisar o seu ambiente interno para encontrar soluções para esses problemas. Afinal, se o discurso atual é “as pessoas que trabalham conosco são nosso principal ativo“, neste momento atípico que estamos vivendo é extremamente essencial que este discurso seja colocado em prática. Caso contrário, as pessoas ficarão desmotivadas, poderão se afastar do trabalho por questões de saúde mental (já ouviu falar de depressão ou Síndrome de Burnout?) e as empresas terão maiores dificuldades de reterem seus talentos.

Com o home office, muda-se o modelo mental de CONTROLE para COLABORAÇÃO e PRODUTIVIDADE. Quantas vezes não víamos funcionários chegando no horário de trabalho registrando o seu ponto, sentando na sua mesa e alternando a sua tela de computador entre um vídeo no YouTube e uma planilha de Excel, fingindo que está trabalhando e só se esforçando quando o prazo está chegando ao fim. Infelizmente, essas poucas “laranjas podres” geram desconfiança em seus líderes organizacionais e, para manterem seus egos e suas posições de poder, ou ainda por terem uma visão míope da situação classificando todo mundo como “laranja podre”, utilizam suas energias para controlar as pessoas, insistindo em manter todo o time trabalhando presencialmente, mesmo colocando a vida dessas pessoas em risco e contribuindo para a desmotivação total da organização.

O que fazer diante de tudo isso?

Se você é funcionário, está inseguro com toda essa questão pandêmica e compreende que seu trabalho pode ser desenvolvimento em home office, converse com o seu líder, exponha suas preocupações, medos e construa soluções com ele. Pode ser que as suas soluções sejam adotadas e contribua para a sua segurança e para a dos demais colegas de trabalho. Caso não sejam adotadas e você compreende que isso vai em desencontro com o que você acredita, procure uma outra organização que esteja alinhada com os seus valores.

Se você é um líder, alguém que dirige uma organização, aproxime-se de seus funcionários, pergunte como eles estão se sentindo, sinta o “clima organizacional” da sua instituição. Com isso, tome ações que criem um equilíbrio sustentável entre o negócio, clientes e seus colaboradores. Porque um negócio não será sustentável se o clima organizacional estiver baixo. Consequentemente, o serviço prestado aos seus clientes se deteriorará, diminuirá o faturamento e seus colaboradores vão começar a abandonar o barco e seguirão viagem com a concorrência. Coloque foco para que o cenário seja totalmente o inverso: tenha um clima organizacional alto, de alta motivação e propósito. Assim, o negócio será próspero, pois o serviço prestado será de alta qualidade, porque você terá um time de alta performance. Consequentemente, seus clientes estarão satisfeitos. Seu faturamento aumentará e seus funcionários vão querer ficar com você trabalhando.

Por isso, para aquelas atividades em que o home office pode ser adotado, não hesite. Ofereça essa modalidade para as pessoas. Ofereça meios para que a comunicação flua e o trabalho continue sendo feito com qualidade. Ofereça um ambiente em que as pessoas se sintam seguras e felizes. É assim que as pessoas poderão se autorealizarem.

ENTÃO, PELO AMOR DOS DEUSES, ADOTE O HOME OFFICE!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s